Sobre mim.

segunda-feira, março 7



Era cidade, de dia, e fazia um frio incontrolável. Nada romântico para quem só pede praia, mar, o som vibrante das gaivotas, esvoaçante roupa branca, simplesmente pura. Não, nada disto existia. Existia rotina, pessoas maldosas, inveja, ignorância, desprezo. Tudo isto nas ruas daquele lugar, desenhados e transcritos por alguém com uma raiva tão grande, capaz de destruir tudo. Mas mesmo assim, ele era superior a tudo isto, e era contemplado, como no paraíso. Se estamos com o tal, se estamos com aquele que nos faz feliz, o sítio não importa, o momento muito menos, e as condições são completamente postas de parte. Não vemos nada, fechamos os olhos, e sentimos o que de melhor o mundo tem para nos dar: o amor. E no fim, percebemos que o único movimento perpétuo que sentimos, é o do nosso coração, bater em sintonia com o dele. Simples, sem grandes adornos, e inesquecível.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comenta (;