Sobre mim.

segunda-feira, março 14




Sabem uma coisa? Estou um bocado farta. Não quero saber se é alta, baixa, morena ou loira. Não preciso que me encubram, que me protejam, que me escondam dos perigos. Eles vêm ter comigo, e eu também não fujo muito deles (; Falo mal, critico nas costas, sou simpática quando me convêm, sou antipática quando não está. Admito, e não preciso de esconder nada. Sei que também o faz, que me forma uma fama invejável, pelo mal e pelo bem. Eu também o faço, e não a julgo por nada. Mas mais do que criticar as roupas, os estilos, os penteados, as malas, eu falo das atitudes. Enerva-me ver pessoas sair magoadas de historias das quais nunca deviam ter pertencido, mas graças à covardia e esperteza de outros, elas lá estão. Mas claro que tudo isto, eu não posso fazer nada. Apenas consigo tirar disto tema de conversa. Assim, não é tão mau, mesmo continuando a enervar-me e a vulgarizar certas pessoas. A sensação é a que quase toda a gente sentiu até hoje: uma enorme raiva que teima em sair, mas que nós temos de conseguir prendar cá dentro, quando essa pessoa está. Sim, sou mentirosa, falsa, má, estúpida, manienta, para quem assim o merece (; E sim, é tudo muito pessoal, e não me importo de mostrar ao mundo quem ela é. Abri os olhos, não sei bem como, e só espero que toda a gente os abra. Melhor do que eu, ou do que outra pessoa, o tempo vai encarregar-se de mostrar a pessoa em que se tornará, as atitudes más que teve, o futuro que lhe reserva. Não sou bruxa, vidente, ou outra incrível figura, mas até posso adivinhar que não vai ser sorridente. Cada um, colhe aquilo que plantou, simplesmente :$

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comenta (;