Sobre mim.

quarta-feira, maio 18

Change.



Foram tempos lindos, nunca irei negar isso. Chegávamos a casa, com o som dos carros intermitentes a passar, e com o sol a pôr-se connosco. Não eramos nada um sem o outro, e todas as noites nos acomodavamos como se fossemos um só. Fazíamos o jantar, tu deliciavas-te com os meus preparos, e eu com os teus morangos cobertos de chocolate, os quais tu me davas e do qual tu me tiravas sempre um beijo. Não vou negar, foram as melhores noites de sempre. De manha, já tudo tinha passado, e só pedia que tudo se voltasse a repetir. Tu acordavas sempre primeiro e as tuas mãos passavam levemente pelo meu rosto como se tivesses a admirar um anjo. Sei disto não porque me o disseste, mas porque mesmo a dormir, eu sentia-te em mim, porque na realidade os olhos não são nada. Levantavas-te silenciosamente, ias para a cozinha, e preparavas-me o pequeno almoço. Devia ser tão bom, e digo isto porque nunca o cheguei a provar. Os raios de sol interpelavam pela janela, eu acordava e via-te ali, como um principe que vem salvar a princesa no cimo da torre. Vinhas com a bandeja na mão, mas eu nem dava conta dela. A minha visão focava-se em ti , fazia esquecer o espaço, ou até a maneira como os pássaros naquele dia cantavam. Eu abraçava-te como se fosse a primeira vez, e aí tudo começava. Conhecias a minha pele melhor do que ninguém e fazias de tudo para a conhecer melhor. Não achava isso exagero, ganancia, ou até outro sentimento prejurativo. Achava isso lindo, como quando uma borboleta se floresce e se demonstra mais esbelta do que sempre. E depois chegava a tarde, onde cada um cumpria as suas tarefas , e no fim, voltavamos sempre para casa. Era noite e sem falhas ou erros, era tudo igual. A rotina apoderou-se de nós, e fez com que o que era sempre único e especial se metamorfosea-se em algo esperada e planeado. Foram tempos realmente lindos, acredita

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comenta (;